<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1659995760901982&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

Humanos deveriam agradecer a peixes pré-históricos da Escócia pelo sexo

Cientistas que estudavam fósseis descobriram que o ato sexual remonta a um grupo de peixes que possuíam placas ósseas, chamados placodermos, e que viviam na Escócia há 385 milhões de anos.

KATE KELLAND, REUTERS

19 de outubro de 2014 | 17h11

Em uma importante descoberta sobre a evolução da história da reprodução sexual, os cientistas viram que os fósseis de machos dos Microbrachius, um grupo de placodermos, desenvolveram membros genitais em forma de L para transferir o esperma às fêmeas, que desenvolveram pequenos ossos emparelhados para envolver os membros dos machos para a reprodução.

Selecione uma opção abaixo para continuar lendo a notícia:
Já é assinante Estadão? Entrar
ou
Não é assinante?
Escolha o melhor plano para você:
Sem compromisso, cancele quando quiser
Digital Básica
R$
0, 99
/ mês
No primeiro mês
R$ 8,90/mês a partir do segundo mês
  • Portal Estadão.
  • Aplicativo sem propaganda.
Digital Completa
R$
0, 99
/ mês
No primeiro mês
R$ 18,90/mês a partir do segundo mês
Benefícios Digital Básica +
  • Acervo Estadão 146 anos de história.
  • Réplica digital do jornal impresso.
Impresso + Digital
R$
20, 90
/ mês
No primeiro ano
R$ 56,90/mês a partir do segundo ano
Benefícios Digital Completa +
  • Jornal impresso aos finais de semana.
Tudo o que sabemos sobre:
CIENCIASEXOPEIXES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.