Humanos produziam fogo há 790 mil anos, diz estudo

Uma nova pesquisa mostrou que os humanos já possuíam a habilidade de produzir fogo há quase 790 mil anos, capacidade que os ajudou a migrarem da África para a Europa. A análise de fósseis em um campo arqueológico às margens do rio Jordão, pesquisadores da Universidade Hebraica de Israel descobriram que as civilizações mais antigas aprenderam a fazer fogueiras, um fator importante na descoberta de terras desconhecidas. Um estudo anterior feito na área e publicado em 2004 mostrou que o homem já era capaz de controlar o fogo --como distribuir o fogo entre tochas-- neste período. Mas pesquisadores agora dizem que os homens primitivos podiam até mesmo acender fogueiras, em vez de contarem com algum fenômeno natural como raios. Tal independência ajudou a impulsionar a migração em direção ao norte, afirmaram os cientistas. "Os novos dados mostram que existia um contínuo e controlado uso do fogo em muitas civilizações e que elas não eram dependentes de fogo natural", afirmou neste domingo a arqueóloga Nira Alperson-Afil. "Uma vez que eles controlaram o fogo para se protegerem de predadores e obterem calor e luz, eles se sentiram seguros o bastante para povoar territórios desconhecidos", afirmou Alperson-Afil.

REUTERS

26 de outubro de 2008 | 15h08

Tudo o que sabemos sobre:
CIENCIAHUMANOSFOGO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.