Ibama aguarda autorização para aumentar efetivo

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) está negociando com o Ministério do Planejamento a realização de concurso público, até abril, para preenchimento de 2 mil vagas de analista ambiental. Essas contratações são fundamentais para dar consistência aos projetos anunciados no Plano de Modernização e de Restruturação do órgão ambiental, segundo Rômulo Fernandes Melo, diretor de gestão estratégica do Ibama. A informatização e a interligação on-line dos cerca de 500 postos no país (entre gerências executivas, escritórios regionais, centros de pesquisas e unidades de conservação) estão entre as metas da modernização. ?Mas não adianta estrutura física sem recursos humanos. Criado há 12 anos, o Ibama nunca teve um concurso público. Estamos detalhando os custos e onde essas pessoas vão trabalhar para conseguir aprovar o concurso?, explica Melo. Entre os projetos que dependem das novas contratações estão os 25 postos da Rede de Escritórios Especializados de Fronteira, anunciados no início deste ano pelo presidente do Ibama, Hamilton Casara. Com a rede, o Ibama pretende implantar uma infra-estrutura humana e material suficiente para cobrir a vasta extensão territorial brasileira nas fronteiras internacionais, e combater problemas como biopirataria, tráfico de animais silvestres, plantas e peixes ornamentais, além do contrabando de madeira e de subprodutos florestais.O presidente do Ibama informou que negociou com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) recursos de US$ 60 milhões para a implantação desses postos de fronteira, que ficarão em dez estados, nas fronteiras com Uruguai, Argentina, Paraguai, Bolívia, Peru, Colômbia, Venezuela, Suriname e Guiana Francesa.

Agencia Estado,

13 de fevereiro de 2002 | 16h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.