Ibama investigará aparecimento de jacarés na Ilha Grande

O Instituto Nacional de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) em Angra dos Reis vai investigar o aparecimento de jacarés na Ilha Grande, no sul fluminense. De acordo com Ubiraci Feitosa, o estudo sobre os répteis começa em 15 dias, com o auxílio da Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente (Feema) e do Instituto Estadual de Floresta (IEF). O objetivo é saber se a ilha é ou não "habitat" dos animais. "Tem que ser verificado se o local é ou não o habitat dessesanimais, que também podem ter migrado do continente para a ilha e se adaptado às condições de água salobra", disse Feitosa à Agência Brasil.Os jacarés encontrados na região são do tipo papo amarelo, que não são agressivos. "Geralmente, eles são encontrados emágua doce, se alimentam de peixes e têm hábitos noturnos", explicou, acrescentando, porém, que eles podem mudar de hábitos, já que a população deixa restos de alimento nas praias e isso os atrai.O biólogo afirmou que apenas quatro animais foram encontrados, mas tanto os moradores quanto os bombeiros da regiãoafirmam que existem entre 30 e 40 jacarés na ilha. a estimativa é confirmada pelo sargento do Corpo de Bombeiros, FernandoCastor. "Recentemente, dois cachorros morreram. Há um mês, apreendemos entre as praias de Lopes Mendes e Palmas umjacaré com 2,40 metros de comprimento, sem contar a cauda", revelou.O bombeiro suspeita que os animais estão se deslocando do pântano para as praias, atraídos pela comida deixada pelosbanhistas. O morador da Ilha Grande, Alexandre de Souza, disse que os jacarés costumam comer cachorros. Souza relatou que, há cerca de 10 anos, um homem conhecido como "Alemão" teria levado um casal de jacarés para a praia deLopes Mendes. Segundo ele, a população local tem medo e o fato também leva perigo para os turistas que lotam as praias daIlha. "Todos temos medo aqui. Outro dia, eu vi um animal atravessando de uma praia para outra. Também já presenciei seis deles deuma vez só no pântano, inclusive tirei uma foto. Isso também é perigoso para os turistas que não sabem sobre os bichos epodem ser mordidos por eles", disse.O secretário de Planejamento e Meio Ambiente de Angra dos Reis, José Luiz Zaganelli, informou que tomou conhecimento dapresença dos jacarés na ilha há pouco tempo, mas que amanhã (14) fará uma reunião com técnicos da Feema e do IEF paratratar do assunt o. Ele disse que recebeu denúncia de um morador preocupado com um possível ataque de jacarés. Zaganellirevelou também que, na próxima quinta-feira (15) vai à Ilha Grande vistoriar as áreas infestadas.

Agencia Estado,

13 de janeiro de 2004 | 16h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.