Ibama multa Vale em R$ 2 milhões por danos a floresta

O Ibama autuou a Companhia Vale do Rio Doce ? uma das gigantes da mineração mundial, cujo presidente, Roger Agnelli, acompanhou o presidente Lula na viagem à China ? com multa de R$ 2 milhões.Segundo as autoridades, a empresa estaria ?causando danos ambientais no entorno da Floresta Nacional de Carajás, por meio do lançamento de efluentes provenientes do beneficiamento de cobre na mina do Sossego? e ?por não ter atendido às condicionantes impostas na autorização de desmatamento?.A mina fica em Canaã dos Carajás, sudeste do Pará. A empresa tem até 20 dias para recorrer. O Ibama fiscalizou a mina do Sossego, de avião, em 23 e 30 de abril. O relatório afirma que ?foi constatado lançamento de rejeitos na parte sul da floresta?.Com o uso de GPS, os analistas identificaram os pontos de vazamento ?de grande quantidade de rejeito diretamente no solo, sem qualquer impermeabilização ou tratamento prévio do resíduo?.A Vale foi notificada. Nova vistoria foi feita na quarta-feira. Segundo o novo relatório, a empresa interrompeu o lançamento de rejeito ?momentos antes da fiscalização?.Mesmo assim, constatou-se que não houve preparo prévio da área receptora do rejeito, como determinava a autorização para desmatamento. Procurada, a direção da companhia ainda não se manifestou oficialmente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.