Ibama recua e volta a liberar guias às madeireiras

A pressão dos madeireiros deu certo e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) recuou de sua intenção de cancelar por 30 dias a emissão de guias para transporte de madeira nos Estados do Pará, Maranhão e Rondônia.A partir da segunda-feira, as Autorizações de Transporte de Produtos Florestais (ATPFs) voltarão a ser liberadas.As ATPFs estavam suspensas desde a semana passada, depois que a Operação Ouro Verde, da Polícia Federal e do próprio Ibama, prendeu 54 pessoas em vários Estados por falsificação desse documento público, desmontando quadrilhas que agiam havia mais de quatro anos.Os madeireiros comemoraram a decisão do Ibama, dizendo que ela melhora arelação do setor com o Ministério do Meio Ambiente. O superintendente do Ibama no Pará, Marcílio Monteiro, justificou que a liberação das ATPFs tem o objetivo de não prejudicar as empresas que estão regulares junto ao órgão, com estoque de origem comprovada.?Não dava para esperar 30 dias para o órgão olhar para dentro, enquanto asociedade fica prejudicada?, resumiu Monteiro.A quadrilha desbaratada em sete Estados, segundo levantamento do órgão, montou 148 empresas fantasmas que comercializaram 72.186 metros cúbicos de madeira, o equivalente a R$ 65 milhões. Uma gráfica de Goiânia imprimia as guias falsificadas que se espalhavam pelo País.

Agencia Estado,

03 de novembro de 2005 | 11h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.