Ibama "repatria" leões de circo para a África

Em uma operação inédita, o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) doou para a África do Sul dez leões que estavam em um pequeno zoológico privado, na cidade de Pará de Minas (86 km de Belo Horizonte).Os animais foram levados para o Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), e embarcados em um vôo fretado no início da noite de segunda-feira.Como funcionava ilegalmente, o zoológico de Pará de Minas foi interditado em 2003, durante uma vistoria realizada pelo instituto. Os dez animais ? cinco machos e cinco fêmeas ? foram enviados para o Park Zôo, nas proximidades Joanesburgo.A coordenadora da operação em Minas Gerais, Maria Beatriz Boschi, disse que os leões foram sedados, vermifugados, vacinados e identificados por microchips. Eles foram transportados em caixas individuais, pela BR-381 até Campinas.O zoológico sul-africano pagou o traslado internacional. Já o transporte de Minas Gerais até o aeroporto de Viracopos foi custeadopelo Ibama.Outros 70Segundo o Ibama, a "repatriação" é uma das saídas para resolver o problema de leões que se encontram em situações não adequadas no País. Em todo o Brasil, o órgão estuda uma destinação para cerca de 70 animais, provenientes de circos ou criadores particulares que foram abandonados ou desativados nos últimos anos.?Realmente é uma situação muito difícil. Ruim para os leões, porque muitas vezes eles ficam em péssimas condições, e ruim para as pessoas, porque nem sempre esses animais estão em segurança, o que é uma situação de risco?, observou Rose Gasparini Morato, chefe do Centro Nacional de Predadores (Cenap) do Ibama.Geralmente, os leões são abandonados quando envelhecem ou sua manutenção fica bastante cara. Assessores do instituto lembram que os circos modernos aboliram os animais de suas apresentações. O Ibama registra casos em que leões foram simplesmente deixados na beira de estradas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.