Ibama terá banco de dados sobre plantas medicinais

Um banco de dados sobre plantas medicinais será montado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Em cerca de quatro meses as informações estarão disponíveis na internet. O instituto vai mapear as espécies e já dispõe de informação de que 60 plantas correm risco de extinção, como a arnica, exaustivamente explorada para fabricação de produtos cicatrizantes. Nesta sexta-feira, o instituto comemora 13 anos de atividade.BiopiratariaO Ibama tem uma relação de 300 espécies de plantas medicinais que, segundo estimativa dos técnicos, não representam sequer 10% do potencial brasileiro. O desconhecimento desse potencial dificulta o combate à biopirataria. Além disso, há espécies que estão sendo exploradas sem o devido cuidado. "A coleta indiscriminada e a destruição de habitats poderão comprometer o futuro das espécies, levando muitas ao desaparecimento", alertou o presidente do Ibama, Hamilton Casara, que nesta sexta-feira assinou portaria criando o Núcleo Nacional para Conservação, Proteção e Manejo Sustentável de Plantas Medicinais.Esse núcleo será o responsável pelo banco de dados e também estimulará a criação de planos de manejo para estudo das plantas medicinais.Perdas incalculáveisO representante da Ong Traffic, Bernardo Ortiz-von Halle, que irá colaborar com o projeto do Ibama, adverte que o Brasil perde "volumes incalculáveis" de lucro por não ter controle sobre as plantas medicinais. Ele comenta que cresce no mundo a busca por produtos naturais, em substituição aos medicamentos do passado.ContrabandistasE o Brasil por ter uma rica biodiversidade acaba sendo alvo de pirataria. "A planta sai do País e o dinheiro vai para os laboratórios europeus e americanos", comenta, ressaltando que não se pode repetir a experiência da borracha, cujas sementes foram contrabandeadas, e, de produtor, o País passou a simples consumidor do produto final. Os contrabandistas, muitas vezes, se passam por pessoas ingênuas para ganhar a confiança de índios e populações tradicionais.OrquídeaDurante cerimônia de criação do núcleo de plantas medicinais foi lançado no Ibama livro sobre a orquídea "Catlleya labiata autumnalis". Essa espécie, originária do Nordeste, é tida como rainha entre as orquídeas pelos especialistas, diz a autora do livro e chefe do Orquidário Nacional do Ibama, Lou Menezes. Ela avisa que essa planta, descoberta em 1821 em Pernambuco, está ameaçada de extinção por comércio ilegal, desmatamentos e incêndios florestais.

Agencia Estado,

22 de fevereiro de 2002 | 20h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.