Ibama vai doar R$ 130 milhões em mogno apreendido

Cerca de 21 mil metros cúbicos de mogno, com valor comercial superior a R$ 130 milhões, serão doados pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) ao Exército de Marabá, no sul do Pará, para serem transformados em móveis e usados na construção civil. Toda a madeira, em torno de 13,7 mil toras, foi apreendida em operações realizadas em reservas indígenas de São Félix do Xingu entre 1999 e 2001.O mogno será cortado e beneficiado em serrarias do Exército na região. Um convênio deverá ser assinado com prefeituras para doação da madeira serrada, que servirá para a construção de escolas e postos de saúde. Parte da madeira será transformada em cadeiras, mesas, carteiras escolares e armários. As unidades do Ibama no sul do Pará também serão mobiliadas. Os madeireiros queriam que o mogno fosse leiloado. O Ministério Público Federal não concorda, entendendo que os mesmos madeireiros flagrados derrubando a floresta seriam beneficiados com a compra da madeira.

Agencia Estado,

24 de março de 2003 | 17h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.