IBGE lança dois livros ambientais

O Instituto Brasileiro de Geografica Brasileira (IBGE) lançou hoje dois livros com temas ambientais: "Vocabulário Básico de Recursos Naturais" e um outro, de uma série de três, com um mapeamento completo das as árvores do Cerrado, que estão ameaçadas de extinção. Os três volumes vão compor um guia completo sobre as estimadas 600 espécies arbóreas desse tipo de vegetação.No primeiro livro, os técnicos do instituto descrevem 187 espécies de 50 famílias diferentes, com fotos, ilustrações e informações que vão desde o nome científico até a forma de cultivar e fazer uso da árvore.Resultado de mais de dez anos de pesquisa do especialista Benedito Alísio Pereira e sua equipe, o trabalho é fruto de levantamentos em três herbários (o que pertence ao IBGE em Brasília, o da Universidade de Brasília e o da Embrapa) e levantou espécies em uma área de 235 km2, que abrange o Distrito Federal e mais 86 municípios de Minas Gerais e Goiás. "O IBGE está avançando nas estatísticas ambientais e essa publicação ajuda a preservar um dos biomas mais ameaçados do Brasil, que é o Cerrado", disse o presidente do IBGE, Sergio Besserman.A publicação, intitulada "Árvores do Brasil Central" e que será vendida nas livrarias do instituto (R$ 65), informa que a Aspiodesperma spruceanum é o nome científico da árvore conhecida como Peroba. Diz esse verbete que a planta fornece uma madeira empregada na construção de telhados, forros, móveis, portas e janelas.Outro verbete dá informações sobre o famoso Ipê-roxo (Tabebuia impetiginosa). A publicação afirma que a sua madeira é uma das consideradas mais valiosas do Brasil e é muito utilizada na construção civil. O verbete dá todas as dicas para quem desejar cultivá-lo."Queremos popularizar a vegetação do Cerrado e até hoje não havia no Brasil uma publicação reunindo apenas as árvores", diz Celso Monteiro, que coordenou o estudo.VocabulárioO "Vocabulário Básico de Recursos Naturais" é destinado a estudantes e pesquisadores da área de meio ambiente. O livro tenta uniformizar os conceitos da área. Técnicos de quatro Estados (Santa Catarina, Rio, Bahia e Goiás) reuniram 2.500 verbetes - selecionados por serem os mais usados.O dicionário é escrito de forma simples e pode ser consultado mesmo por quem conhece pouco de meio ambiente. Há verbetes curiosos e de palavras conhecidas por outros significados, como "suíte" (um tipo de formação rochosa), "feto" (um tipo de planta) ou "dormência" (estado da semente em que ela não morre, mas não germina).Outros verbetes esclarecem dúvidas sobre termos que descrevem eventos que são noticiados com freqüência nos jornais, como o "el niño" (fenômeno que consiste no aquecimento anômalo das águas superficiais do oceano Pacífico equatorial) ou "inversão térmica" (condição em que o ar próximo à superfície da terra apresenta-se mais frio do que o ar acima). "Esse dicionário vai permitir que pessoas de diferentes áreas e em diferentes regiões possam falar a mesma língua", afirma Franklin Araújo, geólogo que coordenou o Vocabulário (R$ 30, nas livrarias do IBGE).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.