Idade avançada traz mesmo sabedoria, confirma estudo

Pessoas mais velhas mostram-se mais capazes de administrar conflitos e de compreender divergências

Associated Press,

05 Abril 2010 | 16h25

E a vovó estava certa: ouça os mais velhos. Nova pesquisa indica que as pessoas de mais idade são realmente sábias, no sentido de saberem como administrar conflitos humanos e em aceitar as incertezas inevitáveis da vida.

 

Não se trata de quantos fatos uma pessoa conhece, ou da capacidade de operar um controle remoto universal, mas da capacidade de lidar com desentendimentos - da sabedoria social.

 

Pesquisadores liderados por Richard E. Nisbett, da Universidade de Michigan, determinou que os mais velhos têm maior probabilidade, na comparação com jovens e pessoas de meia-idade, de perceber que as pessoas podem ter valores diferentes, reconhecer incertezas, aceitar que as coisas mudam e reconhecer outros pontos de vista.

 

"O efeito da idade na sabedoria se mantém em todas as classes sociais, níveis de educação e de QI", informam os autores na edição desta terça-feira, 6, da revista  Proceedings of the National Academy of Sciences.

 

Em uma fase do estudo, os pesquisadores recrutaram 247 pessoas em Michigan e dividiram-nas em grupos de tamanho aproximadamente igual  com idades de 25 a 40, 41 a 59 e de 60 para cima.

Os participantes receberam relatos fictícios sobre conflitos em um país estrangeiro e fizeram uma estimativa de qual seria o resultado.

 

Por exemplo, um dos relatos afirmava que muitas pessoas do Quirguistão estavam emigrando para o Tajiquistão. E, embora os imigrantes desejem preservar seus costumes, os tajiques exigem que eles se deixem assimilar por completo.

 

As respostas foram avaliadas por pesquisadores que não sabiam de que faixa etária os relatórios vinham. As notas foram dadas com base em critérios de busca por um acordo, flexibilidade, aceitar a perspectiva do outro e buscar uma solução para o conflito.

 

Embora os pesquisadores esperassem que a sabedoria aumentasse com a idade, eles ficaram surpresos em ver como os resultados se mostraram fortes na análise de disputas sociais, disse Nisbett. "Houve uma grande vantagem dos velhos sobre os moços nesse caso", disse ele.

Mais conteúdo sobre:
velhice terceira idade conflitos idade

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.