Identificada nova espécie vegetal na mata atlântica

A família vegetal das canelas, que inclui a imbuia (Ocotea porosa), o abacateiro (Persea americana) e o pau-rosa (Aniba rosaeodora), acaba de ganhar um membro. O biólogo e pesquisador científico João Batista Baitello, do Instituto Florestal de São Paulo, identificou uma nova espécie das lauráceas.Trata-se de uma árvore que quando adulta pode chegar a 17 metros de altura, batizada por ele de Aioea atlantica, porque é típica da mata atlântica. Na verdade, amostras dessa planta já vinham sendo coletadas desde 1941 e guardadas em vários herbários do Estado."Ninguém sabia, no entanto, de que espécie se tratava", diz Baitello, que também é botânico e especialista na família das lauráceas. "Há cerca de um ano recebi amostras do Instituto Agronômico de Campinas (IAC) e comecei a estudá-las." Levou cerca de um ano de estudos até ele concluir que A. atlantica era mesmo desconhecida.A família das lauráceas é de grande interesse econômico, pois suas espécies são ricas em essências aromáticas. O exemplo mais conhecido é o pau-rosa, planta amazônica da qual se extrai uma essência que faz parte da composição do famoso perfume francês Chanel n.º 5.Ainda não se sabe a freqüência com que a nova espécie ocorre na mata atlântica. "Pelo número de amostras coletadas até hoje, cerca de dez, supomos que ela não seja muito comum", diz Baitello.   leia mais sobre florestas

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.