Identificado mais um foco de gripe aviária na China

Um novo foco de gripe aviária detectado na província de Liaoning, localizada no nordeste da China, causou a morte de 1.100 aves e obrigou o sacrifício de outras 500 mil, informou nesta quinta-feira a Organização Internacional deSaúde Animal. Trata-se do nono foco da doença identificado este ano e o quinto em um mês na China. Até o momento, segundo a entidade, não há na China nenhum caso confirmado de transmissão ao homem do vírus H5N1, que reapareceu em 2003 no Vietnã, Tailândia, Indonésia e Camboja. Desde então, morreram 63 pessoas e dezenas de milhões de aves em toda a Ásia. As autoridades chinesas pediram à Organização Mundial de Saúde (OMS) ajuda para investigar a morte, em 17 de outubro, em Hunan, de uma menina de 12 anos com sintomas de gripe aviária. Um irmão dela e um professor, de outra localidade, podem estar infectados seu irmão. Segundo um porta-voz da OMS, as análises em que estão sendo feitas em um laboratório de Pequim ainda não foram concluídas. Pequim informou a princípio que a menina morreu de pneumonia porcausas desconhecidas. Segundo a agência de notícias Xinhua, o irmão, de 9 anos, está em recuperação em um hospital de Hunan. Caso seja confirmado, estes seriam os primeiros casos humanos de gripe aviária registrados na China. Os especialistas advertem que uma mutação do vírus pode se sua propagar entre humanos e causar uma pandemia (epidemia de dimensões globais), provocando graves conseqüências sociais e econômicas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.