Ig Nobel premia estudo sobre escorregão em casca de banana

Ig Nobel premia estudo sobre escorregão em casca de banana

Criada há 24 anos, honraria destaca pesquisas excêntricas em diferentes áreas, realizadas por especialistas de todo o mundo 

Giovana Girardi, O Estado de S. Paulo

18 Setembro 2014 | 21h35

 

Ilustrações: Marcos Muller/Estadão

CAMBRIDGE - Em tempos de aquecimento global, ambientalistas vestidos como urso polar para alertar para o derretimento do Ártico estão por todo lado. Mas como será que uma legítima rena do Polo Norte reage ao ver alguém fantasiado de urso? A dúvida de uma dupla de pesquisadores da Noruega virou um trabalho científico e nesta quinta-feira, 18, rendeu-lhes um prêmio. Ou melhor, um anti-prêmio. Os pesquisadores foram laureados com o Ig Nobel, a sátira do prêmio Nobel.

Eigil Reimers e Sindre Eftestøl, da Universidade de Oslo, receberam com bom humor a honraria em uma disputada cerimônia no teatro Sander, na Universidade Harvard, em Cambridge (EUA). Munidos com ursinhos de pelúcia, eles mostraram imagens deles mesmos "fantasiados". Os pesquisadores reconheceram que não se pareciam muito com um urso, mas não contaram qual foi o resultado do encontro.

O prêmio, concedido há 24 anos pela revista Anais da Pesquisa Improvável, tem como premissa honrar pesquisas que primeiro fazem as pessoas rir e depois pensar. Nessa linha, nem tudo é esdrúxulo, mas certamente é curioso. É o caso da pesquisa que investigou se é mentalmente perigoso para um ser humano ter um gato. O trabalho, que ganhou o Ig Nobel de Saúde Pública, tinha um propósito sério e importante: analisar os riscos de contaminação por toxoplasmose, que podem causar inclusive depressão, de acordo com os autores. Jaroslav Flegr, da República Checa, que recebeu o prêmio, levou na esportiva e alertou: "Não coma solo contaminado por gatos". 

Outras pesquisas, porém, são graça pura. Como o trabalho japonês que mediu o valor da fricção entre um pé e uma casca de banana e entre esta e o chão quando algum desavisado escorrega numa casca de banana na rua. Ig Nobel de Física para ele. Kiyoshi Mabuchi, um dos laureados, cantarolou algo animadamente enquanto mostrava cartazes do Godzilla escorregando em uma casca de banana.

 

Ou o estudo que tentou entender o que acontece no cérebro de pessoas que dizem ver a face de Jesus em um pedaço de torrada. Se nada mais der certo, brincou o chinês Kang Lee, é possível comprar uma torradeira com a cara de Jesus no eBay.

Destaque também para o trabalho que documentou "cuidadosamente" - como destacaram os organizadores da premiação - o posicionamento de cachorros quando eles fazem xixi ou cocô. Segundo Vlastimil Hart e colegas da República Checa e da Alemanha, na hora de fazer suas necessidades fisiológicas, os animais alinham o eixo do corpo com as linhas do campo geomagnético norte-sul da Terra.

Os pesquisadores explicaram brevemente a descoberta em um mini-jogral e, ao final, garantiram que coletaram todos os dejetos dos animais. Para provar, jogaram saquinhos de coleta na plateia.

Em um trabalho ainda mais escatológico, uma equipe da Espanha recebeu o Ig Nobel de Nutrição por estudo que usou bactérias de fezes de crianças como culturas probióticas para fazer salsichas fermentadas..

O prêmio também ironizou o governo italiano, que usou, digamos, a criatividade para atender a uma determinação da União Europeia para que cada país aumentasse o tamanho oficial da sua economia.

 O Instituto Nacional de Estatísticas (ISTAT) decidiu incluir na receita da nação ganhos com prostituição, venda de drogas ilegais, contrabando e várias outras transações financeiras ilícitas. Por razões óbvias, ninguém apareceu para receber o Ig Nobel de Economia.

 Ao todo foram entregues, das mãos de verdadeiros Nobel, 10 prêmios. O tema da cerimônia foi comida. Como já é tradicional, a premiação foi intercalada com uma mini-opera em três atos. A deste ano foi sobre um casal que decidiu parar de comer comida tradicional e, em vez disso, obtém todo os nutrientes que precisa de pílulas, trezentas delas por dia. O coro, formado por pesquisadores de biomedicina da região de Boston e alguns laureados pelo Nobel, estava vestido como micróbios e fazia dancinhas pra acompanhar a ópera.

 O "troféu" que cada vencedor do Ig Novel recebeu foi um prato com um frasco de pílulas Acme, em referência aos desenhos do papa-léguas.

 

Mais conteúdo sobre:
Ig NobelPremiação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.