Igreja faz apelo a ladrões para que devolvam relicário com sangue de João Paulo 2º

A Igreja Católica fez um apelo aos ladrões que roubaram um relicário contendo o sangue do papa João Paulo 2º para que devolvem o objeto, no que chamou de "um roubo vil e sacrílego".

PHILI, Reuters

28 Janeiro 2014 | 14h38

O relicário de ouro foi roubado no final de semana de uma pequena igreja de pedra, San Pietro della Ienca, nas montanhas a leste de Roma, onde, em sua juventude, o papa escapava em segredo das pressões do Vaticano para fazer caminhadas e praticar esqui.

"Apelo àqueles que realizaram este ato deplorável", disse o arcebispo Giuseppe Petrocchi, da cidade de L'Aquila, em carta aos católicos locais na noite de segunda-feira. "Devolvam-no", pediu.

Muitas igrejas católicas têm relicários, recipientes geralmente pequenos e ornamentados que contém relíquias, às vezes partes de corpos de figuras reverenciadas da igreja.

Aquele que foi roubado no fim de semana continha um pedaço de tecido ensanguentado, provavelmente da sotaina que João Paulo 2º usava no dia 13 de maio de 1981, quando foi alvejado em uma tentativa de assassinato, de acordo com o escritório do monsenhor Slowomir Oder, autoridade encarregada de defender a santificação de João Paulo 2º.

O escritório de Oder não soube especificar quantas relíquias com o sangue do falecido pontífice existem, mas disse que os relatos da mídia italiana de que existem três estão errados.

(Reportagem adicional de Antonio Denti e Cristiano Corvino)

Mais conteúdo sobre:
RELIGIAOSANGUEROUCO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.