Imagem de radar revela asteróide triplo a 10 milhões de km

A descoberta foi feita pelo telescópio de Arecibo, em Porto Rico; asteróide é considerado próximo da Terra

Carlos Orsi, do estadao.com.br,

15 de fevereiro de 2008 | 12h24

Astrônomos do Observatório de Arecibo, em Porto Rico, descobriram que o asteróide 2001 SN263 não é formado por uma única rocha espacial, mas representa um sistema de três objetos que giram em torno uns dos outros, sustentado pela atração gravitacional mútua.   A descoberta foi feita a partir de imagens obtidas com o envio de sinais de radar para o asteróide, em 11 de fevereiro. O asteróide encontra-se a cerca de 10 milhões de quilômetros e não representa risco de colisão com nosso planeta.   O corpo central do sistema é uma rocha esférica de 2 km de diâmetro, orbitada por duas pequenas "luas", sendo que a maior tem metade desse tamanho. O menor objeto tem 300 metros, aproximadamente o mesmo tamanho do telescópio de Arecibo.   Segundo nota distribuída pelo observatório, outros asteróides triplos já haviam sido descobertos no cinturão principal, entre Marte e Júpiter, e além, mas este é o primeiro encontrado na vizinhança da Terra.   Em 29 de janeiro, outro asteróide, 2007 TU24, atingiu aproximação máxima com a Terra, chegando a 554 mil quilômetros, ou cerca de uma vez e meia a distância entre a Terra e a Lua.

Tudo o que sabemos sobre:
asteróidearecibo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.