Imagem do cérebro mostra como hipnose pode paralisar

Parte do cérebro responsável pelo movimento passa a ignorar as ordens, de acordo com novo estudo

Associated Press,

24 de junho de 2009 | 15h24

Como um hipnotizador é capaz de paralisar seu braço usando apenas palavras? Fazendo uma parte do seu cérebro se intrometer no processo que normalmente move o braço, diz um estudo.

 

link Cientistas criam técnica para ilusão de 'troca de corpos'

link Médicos suíços confirmam '3º braço fantasma' em paciente

link Transplante de mãos converte destros em canhotos, diz estudo

 

Então, a região do cérebro que está pronta para fazer o braço se mexer ignora suas instruções normais e ouve o intruso, que diz "nem tente", concluíram os pesquisadores.

 

É "um tipo de conexão entre diferentes regiões do cérebro", disse Yann Cojan, pesquisador da Universidade de Genebra. Ele é o autor do estudo publicado na edição desta quinta-feira, 25, da revista especializada Neuron. O trabalho usou imagens do cérebro que mostram o que acontece quando 12 voluntários tentavam mover uma mão que havia sido paralisada por hipnose.

 

O resultado mostra que o córtex motor direito prepara-se, como é usual, para fazer a mão esquerda se mexer. Mas o córtex parece ignorar as outras regiões cerebrais com as quais se comunica normalmente para controlar o movimento. Em vez disso, age de um modo mais sincronizado com uma área cerebral diferente, chamada precúneo. Isso foi uma surpresa, disse Cojan.

 

O precúneo está envolvido na produção de imagens mentais e da memória sobre si mesmo. Cojan sugere que ele fica repleto das metáforas usadas pelo hipnotizador: sua mão está pesada, está presa à mesa, etc. Então, disse o cientista, ele poderia estar informando o córtex motor desses "fatos".

É como se o córtex motor "estivesse conectado à ideia de que não é capaz de mover a mão e então... nem envia a mensagem de movê-la".

 

Para o estudo, 12 participantes tiveram o cérebro analisado enquanto realizavam uma tarefa que exigia que apertassem um botão com uma mão ou outra. Em algumas sessões, eram hipnotizados e avisados de que  mão esquerda estaria paralisada. Em outras sessões, o status mental era normal. Outros seis participantes eram instruídos a apenas fingir que a mão estaria paralisada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.