Imagens espetaculares de Marte. Feitas pelo Hubble

A aproximação de Marte da Terra, que chega ao ápice hoje, permitiu ao Telescópio Espacial Hubble captar imagens ?espetaculares?, segundo os astrônomos da Universidade de Cornell. ?Nunca tínhamos visto esta qualidade de imagens feitas pelo Hubble, com tantos detalhes?, diz o astrônomo Jim Bell, apontando para a foto de um gigantesco cânion marciano, conhecido como Valles Marineris, de 4.505 quilômetros de longitude.O Instituto de Ciência do Telescópio Espacial, com sede em Baltimore, que opera o telescópio, publicou as primeiras imagens de Marte nesta manhã. As fotografias foram feitas à noite, ontem, e na madrugada de hoje, quando o planeta vermelho passou à menor distância da Terra em 60.000 anos.Fotos:GailBurton/AP As tomadas foram feitas quando Marte estava a exatos 55,67 milhões de quilômetros da Terra e mostram detalhes da superfície de até 27,3 quilômetros de largura Os telescópios de Terra não são tão eficazes porque sofrem problemas de distorção causados pela atmosfera terrestre. ?São realmente espetaculares. Sabíamos que seriam boas, mas vê-las é outra coisa?, diz Michael Wolff, astrônomo do Instituto de Ciências Espaciais de Boulder, Colorado.As tomadas feitas quando Marte estava a exatos 55,67 milhões de quilômetros da Terra mostram detalhes da superfície de até 27,3 quilômetros de largura.?São as melhores já feitas ou que virão a ser feitas pelo Hubble?, assegura Wolff. ?Existe a possibilidade de achar algo em que antes não havíamos reparado.?As naves que orbitam Marte podem mostrar objetos em grande detalhes, mas não podem captar imagens do planeta inteiro ou a toda hora, ele explicou. Os telescópios de Terra não são tão eficazes porque sofrem problemas de distorção causados pela atmosfera terrestre. O Hubble conta com instrumentos que lhe permitem captar longitudes de onda impossíveis para as naves espaciais que orbitam Marte.Veja o especial sobre Marte

Agencia Estado,

27 de agosto de 2003 | 15h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.