Imagens mostram explosão na superfície do cometa

Os técnicos e cientistas da Nasa, em Pasadena, Califórnia, pularam de alegria hoje, às 2h52 (horário de Brasília), quando o projétil de 370 quilos lançado pela sonda espacial Impacto Profundo - depois de percorrer cerca de 431 milhões de quilômetros no espaço - se chocou contra o cometa Tempel 1 a uma velocidade de 37 mil quilômetros por hora. As primeiras imagens mostraram uma espetacular explosão na superfície do cometa, iluminado pelo sol. A colisão ocorreu no horário previsto, tornando-se um dos projetos de maior precisão na história espacial dos EUA, e após uma terceira manobra final de correção da trajetória. "Está confirmado. Aconteceu a colisão. As imagens são incríveis", disse um porta-voz do Laboratório de Propulsão a Jato (JPL) da Nasa, em meio a aplausos dos cientistas. "Acertamos exatamente no lugar em que tínhamos planejado. Isto é espetacular. Agora esperamos receber mais imagens do que ocorreu", acrescentou. Minutos antes de realizar a mudança final da trajetória do projétil, os cientistas da Nasa assinalaram que a margem de erro no cálculo do impacto era de menos de um quilômetro. O projétil, chamado "Impactador", continuou transmitindo fotografias até os últimos segundos antes da colisão, apesar de começar a receber impactos de materiais na órbita docometa.Segundo estimativas da Nasa, com o impacto surgiu uma cratera do tamanho de um campo de futebol. Esta é a primeira vez que um objeto construído pelo homem se choca intencionalmente contra um corpo do espaço.Com custo de US$ 333 milhões, o projeto Impacto Profundo tem como objetivo determinar a composições dos cometas. Segundo os cientistas, os cometas carregam em suas entranhas os materiais originais do sistema solar e o estudo do Tempel 1 servirá para aprofundar o conhecimento sobre a formação do universo. "Os cientistas acreditam que os cometas são remanescentes do nascimento do sistema solar", disse Andrew Dantzler, diretor da divisão de Sistema Solar da Nasa. "Acreditamos que a Impacto profundo pode revelar este material e que poderemos saber mais sobre nosso sistema solar", acrescentou.Segundo os cientistas, os cometas poderiam ser os responsáveis pela vida na Terra, pois teriam sido eles que trouxeram água ao planeta.Segundo a Nasa, o choque premeditado no espaço não representa nenhum perigo à Terra. O cometa Tempel 1 foi descoberto em 1867 pelo astrônomo alemão Ernest Wilhelm Leberecht Tempel. Mede 14 por 5 quilômetros e está a uma distância de 431 milhões de quilômetros do planeta.

Agencia Estado,

04 de julho de 2005 | 04h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.