Impermeabilizante de mamona, atóxico e renovável

A mamona das guerras da infância e do óleo de rícino, agora é a base de uma resina de poliuretano para impermeabilização de concreto, madeira ou alvenaria. O produto é considerado ambientalmente correto e substitui, na construção civil, os impermeabilizantes convencionais, derivados de petróleo ou as mantas asfáltica e de PVC. A resina foi desenvolvida pelo Instituto de Química Analítica da Universidade de São Paulo (USP), campus de São Carlos, e é comercializada pela empresa Construquil, da mesma cidade.Na sede da Imaflora, em Piracicaba, o isolante foi utilizado nas madeiras externas - deck e pilares de fundação -, para evitar infiltrações, e também como camada intermediária no revestimento interno dos banheiros e cozinha, para isolar a estrutura de madeira e a parede de gesso de qualquer umidade. ?Mas temos aplicado o produto até em estações de tratamento e caixas d?água, porque ele não reage com os químicos utlizados ? cloro sobretudo ? extremamente agressivos para outros materiais?, conta Donizete Curcio Luciano, diretor da empresa. Segundo ele, o produto tem certificado de potabilidade, conferido pela USP, e ainda tem a vantagem de ser totalmente renovável, por ser de origem vegetal, sem nenhum componente derivado de petróleo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.