Imunização reduziu casos graves de gripe suína

BRASÍLIA

, O Estado de S.Paulo

29 Julho 2010 | 00h00

O Ministério da Saúde informou ontem que a vacinação de 88 milhões de pessoas contra a gripe suína teve reflexo direto na redução de casos graves e mortes. De acordo com a pasta, uma análise preliminar dos números parciais da gripe suína no Brasil mostrou que o número de casos graves de hospitalizações e de mortes vem caindo continuamente desde o início de março, em todas as regiões.

Entre 21 e 27 de fevereiro, houve 11 mortes pela doença. Na semana entre 4 e 17 de julho, nenhuma morte foi registrada.

O período entre 28 de fevereiro e 6 de março foi o que teve o maior número de casos de pacientes hospitalizados neste ano; foram 79. Entre 11 e 17 de julho, não houve nenhum registro de casos de internados pela gripe suína, informou a assessoria do ministério.

O Brasil vacinou 46% de sua população, à frente de outros países que também imunizaram em larga escala, como Estados Unidos (26%), México (24%), Suíça (17%), Argentina (13%), Cuba (10%), França (8%) e Alemanha (6%), de acordo com dados divulgados na página do ministério na Internet.

No Brasil, o aumento de casos de gripe geralmente ocorre entre maio e outubro. Porém, a época com mais ocorrências é diferente em algumas regiões. No Norte e Nordeste, a tendência de crescimento vai de abril a junho. No Sul, Sudeste e Centro Oeste, que têm invernos mais rigorosos, os casos se concentram de junho a outubro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.