Incêndio consome 2 mil hectares nas serras do RJ

Focos de incêndio na Região Serrana consumiram dois mil hectares de mata atlântica e campos de altitude na última semana - o equivalente a dois mil campos de futebol. De acordo com o presidente do Instituto Estadual de Florestas (IEF), André Ilha, a maior parte dos incêndios teve origem criminosa e a situação foi agravada pela estiagem e baixa umidade do ar.Os municípios mais atingidos foram Petrópolis, Teresópolis e Nova Friburgo. Somente num dos casos, o fogo destruiu mil hectares entre o Vale das Videiras e Secretário (Petrópolis). "O fazendeiro Nestor Moreira iniciou o fogo. Ele foi denunciado pelo vizinho, um juiz que teve carbonizada a reserva legal de sua propriedade. A multa pode chegar a R$ 1,5 milhão", disse Ilha.O Corpo de Bombeiros chegou a receber 200 chamadas de novos focos por dia, mas hoje a situação foi contornada. Uma frente fria fez baixar a temperatura e choveu pouco em algumas regiões. À tarde, havia três focos de incêndio considerados controlados na Serra das Araras (Petrópolis) e em alguns pontos de Teresópolis. Em Friburgo, surgiram dois novos focos - um dentro do Parque Estadual Três Picos e outros nos limites da unidade de conservação. Dois helicópteros da Marinha continuavam no local para ajudar no combate ao fogo. Segundo o presidente do IEF, os focos de incêndio afetaram principalmente mamíferos, que não conseguiram escapar do fogo. Ninhos e tocas foram destruídos. "Mas o maior prejuízo é invisível. O fogo destruiu a microfauna do solo, que fica mais pobre e demora ainda mais para a mata se reconstituir", disse André Ilha.

Agencia Estado,

18 de outubro de 2002 | 18h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.