Incêndio na Serra da Bocaina atingiu 6 mil hectares

O incêndio no Parque Estadual da Serra da Bocaina, que durou cinco dias, foi considerado o pior na história do parque, fundado em 1971 e localizado em São José do Barreiro, na divisa entre os Estados de São Paulo e Rio de Janeiro.O fogo, que começou na semana passada, foi controlado no último sábado. Segundo a direção do parque, foram 6 mil hectares de mata destruídos, além de boa parte da fauna, que estava em época de reprodução. "Foi o mais grave, em que tivemos prejuízos incalculáveis", afirmou o chefe do parque, Mário Augusto Bernandes Rondon.Apesar de o fogo ter sido controlado na noite do último sábado, duas equipes da Brigada de Incêndio do Parque continuam atuando para descobrir as causas do incêndio. "Agora o objetivo é identificar a origem do incêndio para que possa ser aplicada multa, autuação e processo-crime."O chefe do parque informou também que a mudança no clima que possibilitou chuvas fracas e temperaturas mais baixas, ajudou a conter o incêndio. "Técnicos do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) sobrevoaram a área atingida pelas queimadas para checar se o fogo realmente tinha acabado."O Parque Nacional da Serra da Bocaina fica entre os Estados do Rio de Janeiro e São Paulo. A parte paulista engloba os municípios de Cunha, Ubatuba, São José do Barreiro, Areias e Bananal. O prefeito de São José do Barreiro, Marcos Antonio dos Santos (PFL), decretou estado de emergência no município para ter a ajuda do governo estadual. "Vamos contratar temporariamente cerca de 30 funcionários para ajudar no reflorestamento do parque". Segundo o prefeito, os funcionários vão atuar durante cinco meses na plantação de mudas nativas que também serão compradas pela prefeitura.

Agencia Estado,

21 de outubro de 2002 | 19h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.