Incêndios persistem na Chapada e atingem Monte Pascoal

Vários focos de incêndio em pontos de difícil acesso voltaram a aparecer no Parque Nacional da Chapada Diamantina, no centro da Bahia que queima há mais de um mês. O contingente de 300 pessoas, entre bombeiros e voluntários que combatem o fogo, tem se mostrado ineficiente para controlar as chamas devido à grande extensão do parque, que possui 152 mil hectares.Os mais novos focos se localizam nos municípios de Nova Redenção, Mucugê e Andaraí. Pontos da vegetação que queimam na beira de estradas da região, como a rodovia BR-242 (Salvador/Brasília) assusta os motoristas. Por outro lado, a medição da área queimada através de satélite feita pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) constatou que os danos são menores que os avaliados previamente: não foram 15 mil hectares destruídos, mas 11,5 mil, equivalentes a 7,5% da área total do parque.A solução para o fim dos incêndios seria a chuva, mas não há perspectivas dela ocorrer nos próximos dias. A seca que atinge toda a Bahia há pelo menos três meses está causando problemas também num outro manancial biológico da Bahia. O Parque Nacional de Monte Pascoal, situado no extremo sul baiano e onde estão remanescentes da mata atlântica, também está sendo atingido por incêndios nos últimos dias. Voluntários, bombeiros e técnicos do Ibama havia apagado na sexta quatro dos cinco focos e trabalhavam para controlar o último neste sábado.

Agencia Estado,

05 de novembro de 2005 | 11h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.