Índios aimarás comemoram início do ano 5513

A nação aimará comemorou hoje, na Bolívia, a entrada do ano 5513 do seu calendário, com cerimônias e rituais que se estenderam até as 7h17 locais, quando o primeiro raio de sol cruzou a porta do templo Kalasasaya, no centro arqueológico de Tiwanaku. Com invocações ao Deus Sol, entre copal (resina a retirada de uma árvore que leva o mesmo nome) e incenso queimados em uma grande fogueira e com música de quena (flauta de cana utilizada pelos índios) e bumbos, representantes da nação aimará se despediram do ano 5512, entregando sua última wajtha (oferenda) anual para Pachamama (Mãe Terra).Junto aos sacerdotes do povo aimará boliviano estavam representantes da Argentina, Chile, Peru, Equador e Colômbia, autoridades de Tiwanaku, 220 quilômetros ao oeste de La Paz, e centenas de turistas. Segundo a tradição aimará, os ciclos solares são contados em milhares de anos, a partir da criação da Terra. Os primeiros 5000 anos terminaram em 1492, quando os espanhóis chegaram à América e um novo ciclo começou.O ano solar andino também tem 365 dias, mas divididos em 13 meses de 28 dias cada um, somando-se 364 dias. Das 24 horas do dia restante, 12 se contabilizam no ano que termina e as outras, 12 no que se inicia. Nos últimos anos, e com mais força desde a década de 80, a prática dos rituais andinos, que coincidem com o solstício de inverno, ultrapassaram os tradicionais limites do planalto boliviano, e pouco a pouco esta comemoração se expande a vários pontos do país.

Agencia Estado,

21 de junho de 2005 | 19h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.