Índios quebram nariz de secretário em Porto Alegre

O secretário municipal do Meio Ambiente de Porto Alegre, Beto Möesch, foi agredido por um grupo de cerca de 20 índios caingangues quando tentava inspecionar construções clandestinas na área de conservação ambiental Morro do Osso, na zona sul da cidade, no sábado à tarde. Atingido por pedradas, pauladas, chutes e até cadeiradas, ele foi socorrido por policiais militares e levado ao Hospital de Pronto-Socorro, onde engessou o nariz, que estava fraturado, e recebeu tratamento para os diversos hematomas que tinha em todo o corpo.Ao comentar o incidente, Möesch anunciou que vai mover uma ação criminal contra seus agressores, a quem qualificou de "bandidos". Apesar dos ferimentos, o secretário manteve a agenda para esta segunda-feira, quando abre a Semana Municipal do Meio Ambiente. O acampamento tem cerca de 90 indígenas e passou a ser vigiado pela Brigada Militar para evitar a entrada de outras pessoas.Os caingangues começaram a ocupar o Morro do Osso há três anos e querem que a área seja transformada em reserva indígena. Alegam que o local abriga um cemitério de seus ancestrais. A prefeitura não concorda com a ocupação e move uma ação na Justiça para retirar o grupo, argumentando que os caingangues, habitantes do planalto, não viviam nas proximidades do lago Guaíba, onde está a capital gaúcha.

Agencia Estado,

05 de junho de 2005 | 18h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.