Indústria dos EUA quer diminuir gases estufa emitidos por vacas

Animais são responsáveis por 25% das emissões da índústria de laticínios devido à produção de metano intestinal

AP,

14 de abril de 2009 | 15h02

A indústria de laticínios dos Estados Unidos quer fazer a "vaca do futuro", para que ela passe a produzir menos gases, um projeto que visa cortar as emissões da indústria em 25% até 2020.

 

O projeto vaca quer reduzir a quantidade de metano intestinal, o maior componente da pegada de carbono da indústria de laticínios, disse Thomas P. Gallagher, chefe executivo da U.S. Dairy and Dairy Management Inc.'s Innovation Center.

 

Uma área a ser explorada é a modificação da alimentação das vacas leiteiras de maneira que elas produzam menos metano, disse Rick Naczi, líder da iniciativa.

 

"Agora, há algum trabalho sendo feito em aditivos de óleo de peixe e algumas outras coisas", disse. "A vaca é responsável pela maioria dos gases estufa produzidos na fazenda. Nós sabemos que há maneiras que podemos encontrar de cortar ou reduzir essa produção."

 

Outra possível solução é atacar os micróbios no sistema digestivo da vaca, disse Naczi. "Você pode mudar a composição da mistura de bactérias presentes nos alimentos ruminados e mudar a produção de metano desta forma."

 

Ele espera que as pesquisas produzam alguns resultados em um ano.

 

As emissões de gases estufa são culpadas pelo aquecimento global. Cortar as emissões da indústria de laticínios em 25% poderia equivaler a remover 1, 25 milhão de carros das estradas norte-americanas todos os anos, disse Gallagher.

 

A Universidade do Arkansas estima que essa indústria contribua com menos de 2% do total das emissões de gases estufa dos Estados Unidos. No entanto, consumidores exigem cada vez mais produtos feitos de maneira sustentável, disse Gallagher.

Tudo o que sabemos sobre:
aquecimento global

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.