Inpe lança site sobre desmatamento da Amazônia

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) lançou nesta segunda-feira uma nova página na Internet com informações atualizadas sobre o desmatamento da Amazônia. O novo site do Inpe pode ser acessado através do endereço www.obt.inpe.br/prodes. Depois de seis anos de estudo, a novidade vai possibilitar que dados sobre a exploração da floresta equatorial brasileira estejam disponíveis para qualquer pessoa que tenha acesso à rede mundial de computadores.As informações digitalizadas da região vão permitir uma aproximaçãovia satélite de localidades de até 900 metros quadrados. ?Basta digitaro nome de um município daquela região para saber a quantidade de área desmatada e os motivos da exploração? afirmou Gilberto Câmara, responsável pelo projeto. Segundo o pesquisador do Inpe os problemas enfrentados pelo municípios que formam a região amazônica são com relação à exploração de madeiras, à expansão da plantação de soja e à criação de gado. ?Ou até mesmo causado pela prática das três atividades juntas em um mesmo lugar?. A principal vantagem deste projeto está na capacidade de produzir umbanco de dados geográficos onde estarão disponíveis as imagens desatélite Landsat e os mapas temáticos da exploração com base no período entre 1997 a 2002. O satélite Landsat faz o monitoramento de seis mil pontos em 22 áreas da Amazônia a cada vinte dias. Com a nova tecnologia foi possível verificar, por exemplo, que nos últimos dois anos o município de Porto Novo, no Mato Grosso, foi uma das que mais sofreu com a ação da exploração da floresta, tendo 762 quilômetros quadrados de área desmatada. ?O site é uma arma nas mãos da sociedade, para que ela possa cobrar e saber o que está acontecendo com relação à região amazônica? disse Câmara. ?E que a sociedade e o governo possa tirar suas próprias conclusões?. No ano passado o Inpe registrou o maior desmatamento na Amazônia Legal desde 1995 com a perda de 25.500 quilômetros quadrados. O volume de exploração perdeu apenas para o ano de 1995, quando foram derrubados 29.059 km2 de área verde.

Agencia Estado,

07 de julho de 2003 | 19h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.