Interior de SP ganha laboratórios para pesquisa genética

Sete novos laboratórios na Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp) vão permitir desenvolver pesquisas com células-tronco e promover o seqüenciamento genético de vírus como os da Aids, dengue e hepatite C para a criação de novas vacinas.Os laboratórios, inaugurados no último dia 27, ocupam uma área de 1.200 metros quadrados e se juntam a outros 28 existentes na Famerp.?Conseguimos reunir as novas instalações num único local, o que possibilitará o compartilhamento dos equipamentos e do material de consumo destinado aos experimentos, além de facilitar a troca de experiências entre os pesquisadores?, disse Eny Maria Bertollo, responsável pelos laboratórios.As novas instalações são o Laboratório de Pesquisa em Virologia (LPV), Laboratório de Microbiologia (LM), Unidade de Pesquisa em Genética e Biologia Molecular (UPGEM), Laboratório de Imunologia e Transplante Experimental (Litex), Centro de Investigação de Microrganismos (CIM), Laboratório de Pesquisa em Epidemiologia (LPE) e Laboratório de Investigação Neuromuscular (LIN).?Elas foram construídas dentro de todas as normas de biossegurança da Agência Nacional de Vigilância Sanitária e da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança?, afirma Eny, que também é diretora de pesquisa da Famerp. ?Com isso, a infra-estrutura disponível nos permitirá contribuir para o desenvolvimento científico do país seguindo o mesmo nível tecnológico dos principais laboratórios brasileiros.?Foram investidos R$ 3,2 milhões na criação das unidades, recursos provenientes do governo do Estado de São Paulo, da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), do Fundo de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão (Faepe) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

Agencia Estado,

31 de maio de 2005 | 16h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.