Inventores apresentam o celular dental

Cansado de perder o seu telefone celular?Ou de ter de desligá-lo em todos os eventos públicos? Ou aindade ter sempre alguém ouvindo suas conversas? Pois, nesta sexta-feira, doiscientistas britânicos apresentaram o protótipo de um dispositivocapaz de solucionar todos esses problemas. A única desvantagem éque um dentista terá de implantar a novidade em um de seusmolares.Conhecido como "celular dental", o aparelho, colocado em ummolar, possibilitaria aos usuários receber chamadas telefônicas,ouvir música e até conectar-se a sites de bate-papo da internetsem que ninguém que esteja por perto escute uma palavra. Oaparelho não permite que o usuário faça chamadas telefônicas ouresponda a ligações - isto é, só é possível ouvir ointerlocutor."Me senti estranho. É esquisito", disse Caitlin Caddies, de8 anos, que experimentou uma versão do protótipo, nesta sexta, noMuseu de Ciência de Londres. "Mas adoraria ter um desses, semeus amigos pudessem me ligar à noite, sem que meus paissoubessem", acrescentou o garoto.James Auger, de 31 anos, e seu sócio, Jimmy Loizeau, de 34,desenvolveram o aparelho enquanto faziam mestrado sobreaplicações de tecnologia, no Royal College of Art.Até agora, nenhuma empresa anunciou que produzirá oequipamento, mas os dois inventores se mudaram para Dublin, naIrlanda, para trabalhar com o Media Lab Europe, empresa depesquisa associada ao Massachusetts Institute of Technology.O aparelho, padrão 007, permitiria a espiões e segurançasreceberem instruções secretamente, ou a atletas ouvirem seustécnicos durante as partidas.No dente, seria implantado um pequeno receptor de baixafreqüência e um outro aparelho que converteria sinais de áudioem vibrações mecânicas, transmitindo o som diretamente para aparte interna do ouvido. Por um outro dispositivo, externo aocorpo, o usuário faria a programação do celular. Tudo sem fio,claro.

Agencia Estado,

28 de junho de 2002 | 23h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.