IPCC destinará dinheiro de Nobel a cientistas de países pobres

A instituição ganhou o prêmio em 2007 por avanços no conhecimento e combate da mudança climática

Efe

04 de setembro de 2008 | 15h40

O Comitê Intergovernamental para a Mudança Climática (IPCC) destinará o dinheiro de seu recente prêmio Nobel da Paz aos cientistas de países com menos recursos.  "Não há pesquisas suficientes nos países em desenvolvimento, por isso é importante incentivá-las", afirmou o presidente do IPCC, Rajendra Pachauri. O IPCC ganhou, no ano passado, o Prêmio Nobel da Paz, junto com o ex vice-presidente dos Estados Unidos, Al Gore, "por seus esforços para construir e difundir um maior conhecimento sobre a mudança climática provocada pelos humanos, e sugerir medidas para contra atacar e modificar o fenômeno." O organismo nasceu em 1998, com o objetivo de investigar e determinar se o fenômeno do aquecimento global realmente estava sendo produzido e para descobrir suas possíveis conseqüências.  No domingo passado, o IPCC celebrou seus 20 anos de existência com uma cerimônia da qual participou o secretário geral da ONU, Ban Ki-moon.  Também durante essa semana aconteceu a reunião do grupo que reelegeu Pachauri como presidente. O cientista indiano dirigirá os trabalhos do quinto informe do grupo, que começarão em 2009 e serão concluídos em 2014.  Pachauri já dirigiu os trabalhos do quarto informe do grupo que determinou que a atividade humana provocou a mudança climática, descartando visões que viam o aquecimento como um processo natural.

Tudo o que sabemos sobre:
IPCCaquecimento global

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.