IPT fará diagnóstico da bacia do Rio Sorocaba

O Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), vinculado ao governo estadual, vai realizar um diagnóstico da bacia do Rio Sorocaba para garantir a recuperação e preservação da qualidade das águas, visando principalmente o abastecimento urbano.O trabalho de campo será iniciado nesta semana, e o estudo fica pronto em 12 meses. A bacia abrange 32 municípios da região de Sorocaba e inclui a Represa de Itupararanga, utilizada para geração de energia pela Companhia Brasileira de Alumínio (CBA), do Grupo Votorantim.O diagnóstico foi contratado pelo Consórcio de Estudos, Recuperação e Desenvolvimento da Bacia do Sorocaba (Ceriso). Segundo o presidente do órgão e prefeito de Votorantim, Jair Cassola (PMDB), algumas cidades da bacia já enfrentam a escassez de água para abastecimento.O excesso de poluição em alguns trechos impede o uso, para esse fim, da água do Sorocaba e de outros mananciais. Sorocaba e Votorantim, por exemplo, embora sejam cortadas pelo rio, são obrigadas a captar água em represas distantes.A falta de chuvas baixou o nível desses mananciais, colocando em risco o abastecimento. Cinco bairros de Votorantim estão sendo abastecidos em regime de rodízio. As duas cidades desenvolvem projetos para tratar os esgotos, principais responsáveis pela poluição do Rio Sorocaba.Segundo o diretor do IPT, Sérgio Gouveia de Azevedo, o estudo vai identificar os principais impactos que ocorrem na bacia e apontar soluções. Será proposto um planejamento para o uso conjunto das águas pelos municípios que integram a bacia. As propostas deverão ser incluídas no plano diretor de cada município.

Agencia Estado,

11 de novembro de 2002 | 17h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.