Irã investirá US$ 2,5 bi em pesquisa com células-tronco

O capital será destinado ao desenvolvimento de novos laboratórios em diversas zonas do país

Efe

06 de novembro de 2008 | 15h49

O Irã investirá US$ 2,5 bilhões nos próximos cinco anos em seu programa de pesquisa com células-tronco, iniciado em 2003, informou nesta quinta-feira, 6, a edição digital da iraniana Press TV.   Veja também: Igreja protesta contra concessão de patentes de células-tronco Entenda o uso das células-tronco    Segundo Mortezah Zarabi, diretor do Banco de Sangue de Cordão Umbilical do Irã, a República Islâmica tem a intenção "de abrir em breve centros de pesquisa sobre células-tronco em todas as grandes cidades do país".   O capital será destinado ao desenvolvimento de novos laboratórios em diversas zonas do país, já que a maioria dos trabalhos com células-tronco se concentra, atualmente, em Teerã.   O programa de pesquisa com células-tronco foi lançado em 2003, após ser aprovado pelo líder Supremo da Revolução iraniana, o aiatolá Seyed Ali Khamenei.   Os clérigos muçulmanos, explicou a Press TV, determinaram que não se pode falar de vida até que tenham passado três meses desde a concepção, o que facilita o trabalho com células-tronco, geralmente ligado a um intenso debate moral.

Tudo o que sabemos sobre:
células-tronco

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.