Irlanda estuda criar "imposto do chiclete"

Para coibir a poluição e a sujeira que cobrem as calçadas das grandes cidades, geradas pelas gomas de mascar, o governo irlandês estuda criar um "imposto do chiclete". A mesma taxação poderá valer para as caixinhas de sanduíche, jogadas nas ruas pelos freqüentadores das grandes redes de lanchonetes.As novas taxas são baseadas na filosofia do "quem polui, paga". De acordo com o ministro do Meio Ambiente, Martin Cullen, caso seja aprovado, o "imposto do chiclete" poderá entrar em vigor até o final do ano. O tributo acrescentará entre ? 0,05 e ? 0,10 ao preço da goma de mascar. Mais: poderá representar uma economia de até ? 8 milhões, por ano para os cofres públicos.De quebra, o imposto ajudaria a financiar a compra das máquinas apropriadas para destruir e remover os chicletes que transformaram as calçadas das principais cidades da Irlanda num mosaico cinzento de manchas viscosas.Cullen garante que poderão ser criadas tarifas similares sobre as embalagens plásticas de sanduíches e fast-food, que não são biodegradáveis. O ministro também espera que ambos os impostos sejam tão eficientes quanto a taxa, criada há um ano, que acrescentou ? 0,15 ao preço dos sacos plásticos. Segundo Cullen, ela resultou na redução do uso em mais de 90%.

Agencia Estado,

16 de julho de 2003 | 19h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.