Itália também terá 'ônibus ateus' a partir de fevereiro

Coordenador da campanha insiste em seu caráter provocativo; 'um desafio para o cardeal Carcano'

Efe,

13 de janeiro de 2009 | 16h38

A cidade italiana de Gênova verá circular, a partir de 4 de fevereiro, durante 28 dias, os "ônibus ateus" com cartazes que dizem "a má notícia é que Deus não existe. A boa, é que não há necessidade", informaram nesta terça-feira, 13, os meios de comunicação local.  Veja também:Espanha também terá campanha ateísta Agência reguladora analisará campanha contra DeusWebsite laico árabe tem mais problemas que sites terroristasCampanha ateísta quer colocar pôsteres em ônibus de Londres Trata-se de uma campanha publicitária da União de Ateus e Agnósticos Racionalistas (UAAR) e seu presidente nacional, Raffaelle Carcano, explica que "começamos em Gênova porque é a cidade do presidente da Conferência Episcopal Italiana (CEI), Angelo Bagnasco, e porque é a sede da próxima marcha do Orgulho Gay, prevista para dia 13 de junho, depois de Corpus Christi".  Carcano insiste no caráter provocativo da campanha. "É um desafio na casa do cardeal por suas declarações sobre pedofilia, homossexualidade e eutanásia." A prefeita de Gênova, Marta Vicenzi, acredita que "mais do que qualquer coisa, é uma provocação", mas por outro lado vê "a abertura de discussões, e não será mau se a cidade quiser abordar esse tema. No fundo, as pessoas vêm discutindo isso há anos." Para o padre Gianni Baget Bozzo essa é uma iniciativa "deprimente, mas esperada depois do ateísmo comunista e do ateísmo ideológico. Na Espanha, responderam com escritos: 'Deus existe' e talvez na Itália tenha o efeito oposto estimular os crentes. Veremos." A iniciativa é a primeira deste tipo na Itália e segue a Londres, onde surgiu a ideia na British Humanist Association. De Londres, ela passou para a Austrália, onde foi bloqueada, e então para a Espanha.

Tudo o que sabemos sobre:
ateusItália

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.