Jaguaruna inaugura observatório de baleias

O primeiro observatório de baleias do Brasil acaba de ser inaugurado, em Jaguaruna, Santa Catarina. Com 9,5 metros de altura, 4 de diâmetro, dois decks de observação, escritório e alojamento, numa estrutura de tijolos à vista, o observatório foi construído em meio a uma das dunas, que separam a lagoa da Praia do Arroio Contente. A praia é de mar aberto com uma espécie de ?corredor? longitudinal mais profundo, talvez por isso escolhida como um dos pontos de parada das baleias francas durante o inverno e primavera, quando elas visitam a costa brasileira para dar à luz e amamentar seus filhotes, antes de retornar aos mares frios da Antártida para o verão. De acordo com Márcio Camargo, diretor municipal de planejamento, é comum se avistar dali até 10 baleias, brincando durante todo o dia, bem próximo à costa.O observatório será usado como posto de salva-vidas, durante o verão, quando o afluxo de turistas e surfistas é maior, e observatório de baleias, durante o inverno. A construção foi feita em parceria pela Prefeitura Municipal de Jaguaruna, Corpo de Bombeiros e Projeto Baleia Franca, que também vão cuidar de sua gestão conjuntamente. Além do apoio ao turismo e à educação ambiental da comunidade local, o observatório também servirá à pesquisa.?Fizemos um convênio para manter estagiários no observatório, fazendo censos e coletando informações para projetos que já desenvolvemos, sobre o comportamento das baleias francas com seus filhotes, identificação genética e eventuais impactos do turismo sobre os hábitos das baleias?, diz José Truda Palazzo Jr., coordenador do Projeto Baleia Franca. Alguns destes estudos deram origem à legislação específica para controle do turismo de observação, cujo cumprimento é monitorado tanto pelos pesquisadores, como pelas comunidades litorâneas.Segundo Palazzo Jr., em 2002, foi feita a maior avistagem de baleias desta espécie, desde que existe o projeto: 120 baleias em sobrevôos de dois dias, em outubro. A estimativa é de que um total de 180 baleias francas visitem a costa brasileira entre julho e novembro, todos os anos. Jaguaruna fica na extremidade sul da Área de Proteção Ambiental (APA) da Baleia Franca, a 50 km de Imbituba, um dos centros do turismo de observação no litoral sul.Este tipo de turismo vem crescendo em toda a APA e mais duas construções devem apoiar os interessados em ver de perto os grandes mamíferos marinhos. Em Itapirubá, está sendo construído o Centro Nacional de Conservação da Baleia Franca, com patrocínio da Petrobrás, onde ficará o laboratório de pesquisa do Projeto Baleia Franca, com alojamento para pesquisadores, centro de visitantes e uma pequena exposição. A previsão de inauguração é julho de 2003. E em Imbituba, está em reformas um antigo prédio, que será transformado no Museu da Baleia, com a colaboração de comerciantes e empresários locais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.