Jalapão terá corredor ecológico

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) acaba de criar mais um corredor ecológico no Cerrado, bioma que ocupa um quarto do território nacional e do qual restam apenas 20% de remanescentes. Com 31 mil Km2, o corredor Jalapão/Chapada das Mangabeiras vai proteger uma das maiores extensões ainda conservadas do Cerrado brasileiro, numa área de grande biodiversidade e fragilidade, na divisa dos estados do Tocantins, Maranhão, Piauí e Bahia. O corredor ecológico tem a finalidade de conectar cinco unidades de conservação: Estação Ecológica Serra Geral (divisa TO/BA), Parque Nacional Nascentes do Parnaíba (PI/MA/TO/BA), Áreas de Proteção Ambiental (APAs) Serra da Tabatinga e do Jalapão (TO) e Parque Estadual do Jalapão (TO). Sua extensão inclui dezessete municípios - 11 no Tocantins, 4 no Piauí, 1 no Maranhão e 1 na Bahia -, com uma população total de cerca de 20 mil habitantes, das quais sete mil no interior do corredor e treze mil em seu entorno. Para viabilizar a implantação do corredor ecológico, o gerente Miguel von Behr está realizando, até o dia 21 de outubro, uma série de reuniões com as prefeituras e as principais lideranças de Ponte Alta do Tocantins, São Félix do Jalapão e Mateiros, os maiores municípios do Tocantins. O objetivo é apresentar propostas para ecoturismo, educação ambiental, agricultura, entre outros projetos de conservação e desenvolvimento sustentável para a região. A participação da comunidade na elaboração e acompanhamento do corredor será garantida com a criação de grupos de referência em todos os municípios envolvidos. A criação das unidades de conservação e, agora, do corredor ecológico no Jalapão foi embasada nos resultados de uma expedição, realizada em maio de 2001, quando cerca de 30 pesquisadores do Ibama, Universidade de Brasília(UnB), Conservation International e da organização Pesquisa e Conservação do Cerrado-Pequi percorreram a região com o objetivo de estudar formas de melhorar a qualidade de vida da população, que é muito pobre, e propor projetos ambientais para a região. Com uma das menores densidades populacionais do país (0,6 habitantes por quilômetro quadrado), semelhante à Amazônia, a região é ameaçada pelo avanço acelerado de plantações de soja e pelo turismo desordenado. ?O corredor formará uma área de proteção da biodiversidade por onde os animais transitarão e procriarão em segurança, a flora será conservada e as belezas cênicas preservadas para as futuras gerações?, explica von Behr, que também coordenou a expedição.Considerado uma das três principais áreas para a preservação do Cerrado, o Jalapão é conhecido como ?oásis do cerrado? pelo volume de absorção d?água de suas chapadas e pela extensão de seus rios, onde a ação da chuva e do vento sobre as rochas forma dunas, na Serra do Espírito Santo, principal atrativo turístico da região.No entanto, as pesquisas na área mostram que, devido às características peculiares do solo de areias quartzozas e à proximidade da maior área de desertificação do país - Gilbués, ao sul do Piauí -, o Jalapão sofre também um processo de desertificação natural, que poderá se intensificar com a utilização indevida dos recursos naturais.

Agencia Estado,

16 de outubro de 2002 | 13h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.