Japão recebe pedido para lançamento comercial de satélite

Proposta vem duas semanas antes do país lançar oito satélites no espaço para mostrar seu foguete H2A

AP,

12 de janeiro de 2009 | 17h38

O Japão recebeu seu primeiro pedido comercial para lançar um satélite em um foguete nesta segunda-feira, 12, um negócio que os japoneses esperam que possa sustentar o programa espacial do país. O acordo - que visa um lançamento em abril de 2011 - vem menos de duas semanas antes de o Japão lançar oito satélites no espaço para mostrar que seu foguete H2A pode competir com os rivais da Rússia, Estados Unidos e China.  O programa espacial japonês há muito tem sido focado inteiramente no lançamento, patrocinado pelo governo, de cargas não tripuladas - principalmente científicas, de telecomunicações e satélites espiões, lançados há 10 anos.  Mas autoridades esperam que o uso comercial ajude a levantar fundos no longo prazo para o desenvolvimento do programa espacial japonês, que Tóquio acredita que é uma parte importante da segurança nacional.  A missão primária do dia 21 de janeiro, que será lançada da remota ilha de Tanegashima, onde a principal estação espacial japonesa está localizada, colocará em órbita um satélite de monitoramento das emissões de gases estufa chamado Ibuki, que significa respiração. Mas junto com sua principal carga, o foguete carrega sete "satélites bebês" - um desenvolvido pela Jaxa, agência espacial do governo, e seis outros de universidades e da indústria privada.  A Jaxa decidiu abrir o transporte ao setor privado porque tinha poder de lançamento sobrando e queria dispor sua capacidade para uso comercial.  "Se pudermos lançar com sucesso os sete minissatélites, isso pode ser um excelente precedente para uso comercial no futuro", disse Asaka Hagiwara, porta-voz da Jaxa, a Agência Japonesa de Exploração Aeroespacial.  Em um sinal promissor, Mitsubishi Heavy Industries Ltd., que fabrica o foguete H2A, assinou um acordo nesta segunda-feira, 12, com o Instituto de Pesquisa Aeroespacial da Coreia para lançar seu satélite Arirang 3. Essa foi o primeiro pedido comercial para o foguete japonês. O preço não foi divulgado.  O foguete H2A foi inicialmente projetado e construído como um projeto do governo em que a Mitsubishi Heavy participou. O projeto do foguete foi, então, privatizado como um negócio da Mitsubishi Heavy, agora considerado parte vital do programa espacial japonês.  O Japão tem sido há tempos uma das nações líderes em tecnologia espacial - tendo lançado seu primeiro satélite em 1970 - mas tem lutado para conseguir sair da sombra da China e ganhar um espaço no negócio de lançamento de satélites, dominado pela Rússia, Estados Unidos e Europa.  Dessa forma, o Japão pretende conquistar espaço na corrida espacial na Ásia.

Tudo o que sabemos sobre:
espaçociênciaJapão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.