Japão ultrapassa limites de emissões fixados em Kyoto

A liberação de gases estufa pelo país atingiu a recorde de 1,37 bilhão de toneladas de dióxido de carbono

Efe

12 de novembro de 2008 | 15h53

As emissões de gases do efeito estufa do Japão no último ano fiscal, que terminou em março, subiram ao recorde de 1,37 bilhão de toneladas de dióxido de carbono, superando os limites fixados pelo Protocolo de Kyoto. Segundo o relatório publicado hoje pelo Ministério do Meio Ambiente japonês e citado pela agência Kyodo, esse aumento representa um valor 8,7% acima do nível de 1990, ano de referência marcado pelo Protocolo de Kyoto. Em relação ao ano fiscal anterior, as emissões de dióxido de carbono cresceram 2,3%, devido a um aumento nos trabalhos nas unidades de energia elétrica térmica, que emitem mais dióxido de carbono que as usinas hidrelétricas. Outra razão foi a suspensão de uma unidade de energia nuclear em Niigata (noroeste do Japão) por causa de um terremoto em 2007, o que provocou um aumento das emissões de gases do efeito estufa no setor industrial, empresas e casas. Por setores, nas casas japonesas, as emissões aumentaram 8,4%, diante do maior uso de ar condicionado no verão, e na área industrial aumentaram 3,6%. O Protocolo de Kyoto solicitava ao Japão que diminuísse suas emissões de gases do efeito estufa em 6% entre 2008 e 2012, comparado aos níveis de 1990.

Tudo o que sabemos sobre:
aquecimento globalJapão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.