Japão vai propor volta da caça comercial de baleias

O representante do Japão na conferência anual da Comissão Internacional da Baleia (CIB), Joji Morishita, anunciou que vai propor nesta quarta-feira que a instituição reverta o banimento à caça comercial de baleias, adotado em 1986. Morishita ressalvou que está pessimista quanto às chances de essa proposta receba os necessários três quartos dos votos dos 48 países que participam da conferência.Hoje, primeiro dia da reunião, o Japão retirou uma proposta que permitiria a caça limitada a baleias em áreas litorâneas. Alegando a necessidade de manter tradições de populações locais, o Japão vem há vários anos tentando obter permissão para a caça litorânea.O Japão também retirou a proposta de acabar com o santuário de baleias do Oceano Índico, mas o bloco de países contrários à caça de baleias sofreu duas derrotas, porque não conseguiu os votos necessários para a criação de dois novos santuários, no Atlântico Sul e no Pacífico Sul (nas áreas designadas como santuários, nem mesmo a caça para pesquisa científica é permitida).O ministro do Meio Ambiente da Austrália, David Kemp, afirmou que vai representar a proposta de um santuário no Pacífico Sul na conferência de 2003. A Islândia retirou-se da reunião de Shimonoseki, depois de ver rejeitado o pedido para tornar-se novamente membro pleno da CIB (o país, de tradição baleeira, retirou-se de uma conferência da instituição há dez anos, em protesto contra as restrições à caça, e desde então é apenas um observador, sem direito a voto). O comissário de Baleias do governo da Islândia, Stefan Asmundsson, deu a entender que poderá retomar a caça de baleias.

Agencia Estado,

21 de maio de 2002 | 17h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.