Japoneses preparam-se para clonar mamutes pré-históricos

Cientistas japoneses preparam as primeiras amostras congeladas de DNA de mamutes para tentar cloná-los e trazê-los de volta à fauna. Os espécimes foram desenterrados em agosto do ano passado. Eles foram encontrados nas tundras siberianas, onde ficaram preservados pelo gelo durante milhares de anos.Pesquisadores do Centro de Ciência e Tecnologia de Gifu e da Universidade Kinki querem utilizar o material genético dos mamutes com o objetivo de cloná-los, disse Akiesra Irytani, um cientista da Universidade Kinki, no oeste do Japão. Primeiro, porém, eles devem determinar se os cinco espécimes levados da Rússia para o Japão nesta terça-feira eram realmente mamutes. Se forem, os cientistas terão então de analisar o DNA dos animais para saber se o material genético está suficientemente preservado para clonagem.Depois disso, poderiam ser necessários ainda alguns anos para a produção do primeiro animal. Irytani comentou que a idéia original é desenvolver uma tecnologia para a clonagem de animais extintos a fim de auxiliar na preservação de espécies em risco de extinção.A idéia inicial dos cientistas é encontrar espermatozóides que seriam inseminados numa elefanta dos dias de hoje, para a criação de um híbrido.

Agencia Estado,

15 de julho de 2003 | 18h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.