Jornada longa eleva em mais de 60% o risco à saúde

Pessoas que fazem hora extra têm 61% mais chances de ter problemas de saúde, como lesões e doenças, revelam pesquisadores da Universidade de Massachusetts (EUA).Esse risco é ainda um terço maior caso a pessoa trabalhe mais de 12 horas diárias.O levantamento analisou o impacto sobre a saúde de 110.236 jornadas de trabalho nos Estados Unidos entre 1987 e 2000. Os resultados estão publicados na revista especializada Occupational and Environmental Health Journal.Um dos autores do estudo, Allar Dembe, disse que o risco não está necessariamente associado a atividades perigosas."Os resultados deste estudo sugerem que trabalhos com longas jornadas não são mais arriscados por estarem concentrados em indústrias ou ocupações naturalmente mais perigosas", afirmou ele."Nossas descobertas comprovam a hipótese de que longas jornadas indiretamente precipitam acidentes no local de trabalho por meio de um processo causal, por exemplo, provocando fadiga ou estresse nos trabalhadores."Os pesquisadores identificaram 5.139 doenças e lesões relacionadas ao trabalho - estresse, cortes, queimaduras e lesões musculares, entre outros problemas.Mais da metade dessas lesões e doenças aconteceu em lugares onde são comuns longas jornadas e horas extras.

Agencia Estado,

18 de agosto de 2005 | 11h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.