Jornal do Vaticano contrata sua primeira jornalista mulher

Silvia Guidi, de 36 anos, é membro de um movimento católico leigo que prega a 'entrega total a Deus'

EFE,

29 de abril de 2008 | 18h34

O jornal do Vaticano, L'Osservatore Romano, contará a partir de 2 de maio e pela primeira vez em sua história, com uma mulher em sua redação, informou o jornal Corriere della Sera.   A jornalista em questão é Silvia Guidi, de 36 anos, até então subdiretora da editoria internacional do jornal Libero, e que já colaborou com diversos artigos no jornal do Vaticano.   Segundo o Corriere della Sera, o diretor do L'Osservatore Romano, Giovanni Maria Vian, conheceu Guidi durante um congresso em novembro, e decidiu chamá-la por causa de seu currículo para propor uma colaboração.   As mesmas fontes dizem que foi o papa Bento XVI, que tem o cargo de editor de L'Osservatore Romano, que pediu que houvesse mais "espaço para os créditos femininos".   Guidi é membro da associação Memores Domini, que reúne membros do movimento religioso Comunhão e Liberação que escolheram viver em "entrega total a Deus", de acordo com o Corriere.

Tudo o que sabemos sobre:
vaticanoimprensa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.