Koizumi e Blair comemoram adesão russa a protocolo

A adesão formal da Rússia ao Protocolo de Kyoto, anunciada nesta sexta-feira pelo Kremlin, foi saudada logo pela manhã pelo primeiro-ministro japonês, Junichiro Koizumi, e pelo premiê britânico, Tony Blair. A decisão russa permite que o tratado internacional pela redução de gases causadores do aquecimento global entre em vigor em 2005.Koizumi, que deu suas "calorosas boas-vindas" à decisão russa, afirmou que ela estabelece "um novo ponto de partida para o combate ao aquecimento global". O Japão, onde o tratado foi elaborado, é considerado líder natural dos 127 países que ratificaram o documento e aguardavam a adesão da Rússia.Blair saudou a "liderança do presidente Putin e de seu governo neste tema global de crítica importância". Ele disse contar com a ajuda do líder russo durante seu mandato como presidente do G-8 - grupo das oito nações mais industrializadas -, no ano que vem, "quando as mudanças climáticas serão um dos temas mais relevantes".Blair vem investindo pesadamente nas questões relacionadas ao aquecimento global desde meados deste ano, e foi um dos líderes que mais pressionaram Putin a ratificar o Protocolo de Kyoto. O Reino Unido é um dos pontos sob maior risco de tragédias provocadas por mudanças climáticas.A própria rainha Elizabeth II assumiu nesta semana a bandeira do Protocolo de Kyoto e em defesa de medidas urgentes para conter o aquecimento global. Mudanças climáticas graves devem, segundo projeções de cientistas, provocar uma elevação do nível dos oceanos, e o Reino Unido tende a perder boa parte de seu território.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.