Labaredas solares simultâneas intrigam cientistas

Cientistas informam uma descoberta sem precedentes: labaredas irrompendo, ao mesmo tempo, em pontos quase que diametralmente opostos do Sol. As labaredas - gigantescas erupções de hidrogênio, emitidas a partir da superfície solar - foram observadas por pesquisadores do Observatório Solar Nacional, no sul do Estado de Novo México, EUA, na manhã de 31 de outubro. Labaredas simultâneas já haviam sido obervadas no Sol antes, mas nunca com uma distância tão grande entre si. Agora, os cientistas tentam determinar se as erupções foram coincidentes ou se têm alguma causa comum.Especialistas acreditam que a descoberta poderá ter conseqüências importantes, se mais casos forem observados.?Se virmos mais dessas [labaredas distantes e simultâneas]... O fenômeno se tora extremamente importante?, disse Stephen Greggor, professor de Física e Astronomia da Universidade de Novo México.Pesquisadores do Observatório especulam que campos magnéticos podem ter feito as labaredas irromperem num intervalo de poucos segundos. Eles avisam, porém, que por enquanto os dados não suportam nenhuma teoria. As labaredas solares são as maiores explosões existentes no Sistema Solar. Segundo o físico Don Neidig, as erupções observadas em 31 de outubro tiveram força equivalente a milhões de bombas H.

Agencia Estado,

12 de novembro de 2002 | 13h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.