LHC só deve voltar a funcionar no segundo semestre de 2009

Declaração do porta-voz do Cern confirmou rumores da imprensa de que previsão anterior não seria cumprida

Efe

17 de novembro de 2008 | 14h19

O Grande Colisor de Hádrons (LHC), acelerador de partículas da Organização Européia para a Pesquisa Nuclear (Cern), não voltará a funcionar antes do segundo semestre de 2009, depois do defeito detectado em meados de setembro, informou nesta segunda-feira, 17, o centro de pesquisas.   Veja também:  Vazamento e reparo empurram reativação do LHC para 2009  Brasileiro explica o experimento na Suíça   Entenda o LHC  Assista ao vivo o que acontece no laboratório   Experiência do LHC depende de rede mundial de computadores  Estudo reafirma que acelerador de partículas LHC é seguro  Cientistas criam rap para explicar o Grande Colisor de Hádrons  Site do Cern  Vídeo do Cern explica o LHC em três minutos (em inglês)   Galeria com imagens do LHC       O porta-voz do Cern, James Gillies, confirmou os rumores que tinham surgido na imprensa da Suíça, que afirmavam que a data apontada para o segundo trimestre para o LHC voltar a funcionar não era verdadeira.   "Será no verão, mais provavelmente do que na primavera (no hemisfério norte)", afirmou o porta-voz, que disse que o Conselho do Cern se reunirá em 12 de dezembro para avaliar a situação.   O principal projeto do Cern entrou em funcionamento em 10 de setembro, quando os cientistas fizeram com que o primeiro feixe de prótons circulasse e desse uma volta completa pelo gigantesco túnel de 27 quilômetros de circunferência do acelerador, situado sob a fronteira entre França e Suíça, próximo a Genebra.   Dez dias depois, um defeito em um dos oito setores do acelerador obrigou a interrupção do funcionamento do LHC.   O problema se deveu a um vazamento de hélio no setor 3-4 do túnel, e pouco depois foi confirmado que se deveu a uma conexão elétrica entre dois ímãs do acelerador.   Apesar da avaria, o Cern inaugurou o LHC oficialmente em 21 de outubro em uma cerimônia ofuscada pela ausência de grandes personalidades.   Informações surgidas na imprensa suíça culpam a avaria à "pressa" do diretor-geral do Cern, Robert Aymar, que queria inaugurar o LHC a todo custo antes do final de seu mandato, este ano, sem a realização de todos os testes necessários.

Tudo o que sabemos sobre:
ciênciaLHCCern

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.