Líder islâmico diz que reunião ecumênica na Itália foi tensa

Bento XVI inaugurou a reunião inter-religiosa 'Por um mundo sem violência: Religiões e culturas em diálogo'

Ansa,

22 de outubro de 2007 | 14h14

O imã saudita Ezzedin Ibrahim, conselheiro cultural dos Emirados Árabes Unidos, afirmou que "houve tensão" na mesa do papa Bento XVI e dos líderes religiosos durante o almoço inaugural da reunião ecumênica realizada em Nápoles.   Perguntado se houve enfrentamento entre o rabino-chefe de Israel, Yona Metzger, e o patriarca armênio-libanês Aram I, Ibrahim respondeu: "sim, houve tensão".   Ezzedim Ibrahim, que era um dos convidados de honra, junto ao papa, no almoço que abriu o Encontro das Religiões pela Paz, explicou que o cardeal de Nápoles, Crescenzio Sepe, interveio como pacificador no momento do atrito.   O cardeal pediu aos convidados que discutissem questões como Gaza, Irã e o Líbano em outras sedes. "Achei um conselho muito sábio", comentou Ibrahim.   O saudita, fundador da Universidade dos Emirados Árabes Unidos, é um dos 138 sábios islâmicos autores da carta ao papa para instaurar uma maior colaboração entre o islamismo e o cristianismo.  Bento XVI inaugurou em Nápoles, no domingo, a reunião inter-religiosa Por um mundo sem violência: Religiões e culturas em diálogo, organizada pela comunidade católica de Santo Egídio de Roma, com uma missa celebrada sob chuva na praça desta cidade, no sul da Itália.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.