Linguagem permite a computador ´refletir´ sobre comandos

Uma nova linguagem de programação foi desenvolvida para permitir que computadores possam ?refletir? sobre as implicações das ordens dadas a eles. O desenvolvimento foi feito por pesquisadores do Instituto Nacional de Padrões e Tecnologias (Nist), dos Estados Unidos, e de instituições da Alemanha, França, Japão e Reino Unido.O objetivo inicial da linguagem, que leva o nome ISO 18629, é permitir a construção de sistemas industriais mais eficientes.A novidade, baseada em inteligência artificial e análise lingüística, reúne uma estrutura com cerca de 300 conceitos, tais como duração e seqüência, que possibilita à máquina interpretar ordens, ainda que relativamente complexas.Por exemplo, uma pessoa que ouve o comando ?pinte antes de empacotar? ou ?antes de terminar a montagem, esfrie a peça? sabe que a palavra ?antes? tem significados diferentes nos dois casos. No primeiro, a ação ?pintar? deve ser feita antes de iniciar a seguinte, ?empacotar?. No segundo, o esfriamento da peça pode ser feito em qualquer momento durante a montagem.A ISO 18629 permite que o computador interprete as diferenças em casos como esse.A International Organization for Standardization (ISO) já aprovou seis das nove seções que compõem a nova linguagem e está avaliando as últimas três.Logo que a organização der o sinal verde para a ISO 18629, o que deve ocorrer em breve, fabricantes de software em todo o mundo poderão começar a desenvolver sistemas de manufatura baseados na linguagem.

Agencia Estado,

21 de junho de 2005 | 12h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.