Litoral paulista tem 36 praias poluídas

Dos 148 pontos de amostragem da qualidade das praias do litoral paulista, 36 foram considerados impróprios para o banho de mar, de acordo com boletim divulgado nesta terça-feira pela Companhia Estadual de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb). Na Baixada Santista e litoral sul, dos 68 pontos, 21 estavam impróprios. Dos 80 localizados no litoral norte, 15 mantiveram-se poluídos.Durante o verão, a Cetesb divulga três boletins por semana sobre as condições de balneabilidade das águas do litoral paulista: aos domingos, terças e quintas. São avaliadas cinco amostras de cada um dos 148 pontos.Uma praia é considerada própria para o banho de mar quando 80% das amostras apresentarem menos de 800 bactérias fecais em 100 ml de água. "Se mais de 20% estiver acima de 800 bactérias fecais, a praia é considerada imprópria", afirmou Cláudia Pamparelle, gerente do Setor de Águas Litorâneas da Cetesb."Com o aumento da população flutuante e as chuvas, as condições de balneabilidade das águas pioram", explicou Cláudia. "As praias em piores condições são de Ilhabela, pois apenas 0,5% da cidade possui rede coletora de esgoto." A melhor é de Santos, onde 90% dos habitantes são atendidos por rede de esgoto.A gerente considerou que nos últimos cinco anos houve redução da poluição, já que muitos municípios do litoral fizeram investimentos em saneamento básico. "Antes, cerca de 50% das praias eram classificadas como impróprias durante mais de seis meses, agora a situação piora somente no verão", informou.Cláudia entende, no entanto, que os investimentos em saneamento básico "ainda não são suficientes".Ela lembrou que em 1996 as condições do litoral da Praia Grande melhoraram com a conclusão das obras do interceptor oceânico, que recolhe as águas dos canais.

Agencia Estado,

14 de janeiro de 2003 | 20h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.