Livro mostra relação do homem com a natureza no Brasil

A presença humana é o maior fator de impacto sobre o meio ambiente. Por isso, a relação homem e natureza é uma história construída no Brasil desde a época em que somente as populações indígenas viviam por aqui. Traçar um painel dessa interação foi o desafio do ecólogo e escritor Evaristo Eduardo de Miranda, que resultou no livro Natureza, Conservação e Cultura - Ensaio sobre a relação do homem com a natureza no Brasil, que será lançado hoje, a partir das 19 horas, na Fnac Pinheiros (Av. Pedroso de Moraes, 858), em São Paulo.A autoria do livro é dividida com o fotógrafo Adriano Gambarini, responsável pelas mais de cem fotografias, em sua grande maioria inéditas, com imagens de espécies da fauna e da flora brasileiras, além de paisagens dos principais ecossistemas brasileiros, com flagrantes de natureza preservada e também de problemas ambientais e ecológicos. A publicação traz ainda ilustrações de espécies raras, de Ricardo Cavani, e algumas imagens histórias do acervo da editora Metalivros.Natureza, Conservação e Cultura começa mostrando como a caça, o fogo e os desmatamentos influenciaram a paisagem e as espécies brasileiras desde muito antes da chegada de Cabral e como a presença dos colonizadores europeus continuou esse processo. O autor mostra, porém, que nenhum desses impactos pode ser reponsabilizado pela destruição ambiental da atualidade. Miranda faz uma análise sobre os ciclos do pau-brasil, do açúcar e do café, mas mostra que o País sempre apresentou uma diversidade de modos de produção, relação com a terra e culturas, que precisa ser reconhecida e compreendida. Faz também um balanço da legislação ambiental brasileira desde seus primórdios, com as Ordenações dos reis de Portugal, até a Rio-92 e mostra os ambientalistas dos séculos XVIII e XIX no Brasil, como Domenico Vandelli, Manuel Arruda e Alexandre Rodrigues Ferreira, o primeiro naturalista brasileiro a viajar pela Amazônia, realizar coletas e relatar as observações de forma sistemática.Outro destaque do livro são as informações sobre o papel e as ameaçadas aos mamíferos carnívoros, com fotos ou ilustrações de todas as 26 espécies da Ordem Carnívora que ocorrem no País. São quatro famílias (Felidae, Canidae, Mustelidae e Procyonidae), da qual fazem parte animais como as onças e gatos-do-mato, os lobos e carrochos-do-mato, as ariranhas e gambás, os quatis e guaximins. DivulgaçãoFilhote de onça-pardaNa visão do autor, a publicação pode ?despertar no leitor a curiosidade por aspectos esquecidos, tesouros desconhecidos, fatos surpreendentes ou mistérios escondidos na luminosa aventura humana em terras brasileiras. Dos atores e autores de nossa história, temos muito mais a nos orgulhar do que envergonhar. E para orgulhar-se é preciso conhecer?. Com coordenação editorial e gráfica de Ronaldo Graça Couto, da Metalivros, o livro chega às livrarias numa tiragem inicial de 3 mil exemplares, com textos em português e inglês, e realizado com o apoio científico da Associação Pró-Carnívoros e o apoio institucional do Ministério da Cultura, por meio da Lei Rouanet. O preço é R$ 96,00 (com 20% de desconto no evento de lançamento).

Agencia Estado,

04 de agosto de 2003 | 10h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.